Carta dos Curadores

Gabi Matos e Robert Frank 

Mesmo dentro de suas peculiaridades, periferia é periferia em todo lugar. 

Há aquele sentimento de um morador de favela quando chega em outra comunidade, olha para o entorno e diz parecer com tal lugar de suas memórias, há aquela curva da estrada no interior, aquela horta, aquele cheiro das plantas que curam que trazem memórias de infância, há os cantos que nos ligam ao sagrado que nos guiou até aqui, mesmo quando não acreditamos, e há aquela incrível força vinda da necessidade de criar, de mostrar e dizer de um mundo que cria raízes, brota e vive ali, do bom e do ruim como o mundo segue sendo. 

Os filmes selecionados para o Doutro Lado Festival de Cinema, 1º Festival de Cinema Periférico de Betim, trazem de todas as regiões do Brasil um tanto dessa gama de possibilidades de se contar do lugar que crescemos, do lugar que segue nos alimentando para a luta diária, que nos assegura de ter raízes fortes, termos passado e presente mesmo com a insistente força do Estado tentando e nos atentando para o contrário. 

Foi com muito afeto no olhar que selecionamos estes 11 filmes que conversam conosco em caminhos diversos estética e discursivamente. Diversa como a periferia sempre é, onde realizadores iniciantes estão lado a lado de mais experientes, mantendo a máxima do respeito aprendido nas quebradas do sempre;

É nóis. Tamo junto. Só força.

Atentem-se, divirtam-se e boa sessão.